Num seguro de saúde existem duas modalidades de comparticipação de despesas: através de reembolso e copagamento. É importante saber o que significam estes dois conceitos e em que situações se aplicam para utilizar o seguro de saúde da forma mais vantajosa e escolher aquele que se adequa melhor às suas necessidades.

 

Reembolso
Comecemos por explicar em que consiste o reembolso de despesas de saúde. Esta modalidade aplica-se quando a pessoa segura recorre a um prestador de cuidados de saúde fora da rede convencionada (conjunto de prestadores com os quais a seguradora tem um acordo). Neste caso, terá de pagar previamente a totalidade da despesa, sendo posteriormente reembolsado de parte do valor despendido, após o envio do respetivo recibo à seguradora no prazo estipulado na apólice do seguro de saúde. A comparticipação, ou seja, o valor a receber da seguradora, dependerá do que estiver contratualmente definido para o ato médico em causa.

Copagamento
Ao contrário do reembolso, o copagamento de despesas de saúde só se aplica dentro da rede convencionada e corresponde à parte da despesa a cargo da pessoa segura. Assim, no momento do pagamento, após o ato médico, a pessoa segura paga apenas o que lhe cabe (consoante a opção de seguro de saúde contratada). O restante é comparticipado pela seguradora. Na modalidade de copagamento, o valor ou a percentagem a cobrar à pessoa segura por um determinado ato médico encontra-se previamente tabelado.

Reembolso e copagamento: vantagens e desvantagens

O facto de o reembolso ter uma maior abrangência, acaba muitas vezes por ser considerado uma grande vantagem. Nesta modalidade, a pessoa segura não fica limitada aos prestadores de cuidados de saúde da rede convencionada, e pode optar pelo médico, a clínica ou hospital da sua preferência.

A desvantagem do reembolso está no facto de a pessoa segura ter de pagar a despesa de saúde na sua totalidade e só ser ressarcida posteriormente da devida comparticipação da seguradora. No caso de uma despesa de saúde de valor mais elevado, como uma cirurgia ou um parto, este pode ser um grande inconveniente.

No caso do copagamento, a pessoa segura tem de optar por utilizar prestadores da rede da seguradora. Contudo, a maioria das redes convencionadas abrange os maiores e principais prestadores de saúde em todo o país.